Um dia além dos dias!



Um dia passado os muitos,
entra no repentino dia o livre.
Nada faço além de ser,
existo logo vivo, logo penso.

Sou, pq estendo-me na nuvem
macia dos sonhos reais.
Faço-me fantasia alada
das almas brancas serenas.

Na vívida paz da verdade,
atraves, da cortina branca
da seda pura,
da pele nua, da alma crua.

Pura, livre desejo...
Busco, chego, contemplo.
Nada mais ganhar, nada mais querer.
Ter tudo que se sonha, ser tudo que se é.

Verdade latente dentro da minha verdade,
Feliz por tudo ao me pertecer
Afago lívido... celeste...reluzente.

Cobiçará tolos fétidos de mentes impróprias,
Um fulgaz leve pensamento...
Pagão, amores de erros,
Oposto a este que doo-me.


Já nada quero sem vida altiva,
Além de olhos que nada veem,
Fora de almas que nada sentem.

Na levitante isensatez de dias brandos,
formando a pele calma de um amor de além dos anos,
no tempo, sem tempo de estar impregnando,
um algo sem nome, mas sem enterder engano,
Levamos tudo como uma vida sem plano!


E para concluir a dádiva das palavras, que expressam com clareza sentimentos leves e puros, quero dizer ao amor da minha vida, ao homem reponsavel pelo furor de meus dias, que admira minhas expressões na forma mais inconstante de se retratar o amor que sinto levianamente;
Que eu o amo!!! Todos os dias, até nos dias mais insignificantes, te amarei... sempre!

1 Comment:

  1. halline said...
    Cacete !!

    Arraso!!

    Amoooooo

Post a Comment



Template by:
Free Blog Templates